Mais de 135 vagas para trabalhar em Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia por todo o país
Jun20

Mais de 135 vagas para trabalhar em Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia por todo o país

São várias as ofertas de emprego, em diversas áreas, para trabalhar em Câmaras Municipais, Juntas de Freguesias e Universidades, um pouco por todo o país! As ofertas estão disponíveis no portal do BEP (Bolsa de Emprego Público) que tem como objetivo construir-se como uma base de informação que permita simplificar e dar mais transparência aos variados processos de recrutamento da administração pública. Esta ferramenta online facilita o utilizador para poder encontrar os diversos processos abertos, e atualmente existem no total 138 processos de recrutamento a decorrer na administração pública, por todo o país! Veja aqui as vagas disponíveis....

Read More
3 passos para descobrir o seu emprego de sonho
Jun06

3 passos para descobrir o seu emprego de sonho

Astronauta, veterinário(a), jogador(a) de futebol, cabeleireiro(a). Todos sonhávamos ser algo “quando fôssemos grandes”. Mas quando os centímetros aumentam (e a idade também), o emprego de sonho não é, na maioria das vezes, sinónimo de realidade. Logo a começar porque nem todos nascem apaixonados por algo em particular ou a saber precisamente aquilo que quer. Descobrir aquilo que se gosta de fazer é, para muitos, um processo longo, que mistura experiências pessoais, de auto-conhecimento e de convívio social. Scott Dinsmore, criador da plataforma Live Your Legend – Change the World by Doing What You Love, que liga várias pessoas e as ajuda a encontrar a sua paixão, partilhou numa TED Talk aquilo que, para ele, são os três melhores caminhos para se encontrar um trabalho que realmente nos faça sentir realizados. 1 – TORNAR-SE UM ESPECIALISTA DO “EU” Não se tratar de olhar muitas vezes para o reflexo do espelho, mas sim para o interior. Descobrir quais são os pontos fortes, que coisas levam os outros a agradecer-nos por as termos feito. Para Scott, a pergunta mais importante é: “o que é que eu não posso não fazer?”. Basta pensar que atividades nos dão mais prazer, que funções adoramos desempenhar no dia-a-dia. Ao fazer este exercício várias vezes, torna-se mais fácil sermos especialistas em… nós próprios. Além de descobrir os nossos pontos fortes, devemos refletir acerca dos nossos valores. Quando precisamos de tomar uma decisão, com o que é que nos preocupamos em primeiro lugar? A família, a saúde ou o sucesso são os exemplos dados. É preciso termos em mente aquilo que valorizamos para não cometermos o erro de nos “aventurarmos” nalguma profissão que deixe para segundo plano algo que, para nós, é uma prioridade. E por fim, para nos conhecermos verdadeiramente, temos que olhar para as nossas experiências. Todos os dias aprendemos algo – fazemos coisas que adoramos, que odiamos e que nos são indiferentes. E se pensarmos bem nelas, percebemos que há certas coisas que nos fazem realmente sentir bem. Outras, nem tanto. Devemos pensar nas experiências que nos trouxeram sucesso, mas também nas que nos “deitaram abaixo”. Porque, de cada uma delas, há sempre uma lição a retirar. Ao refletirmos sobre estas situações, podemos (e devemos) aplicar nas nossas vidas todas essas aprendizagens de modo a sermos o mais bem sucedidos possível. Ter um diário é uma boa aposta para irmos apontado estas mesmas experiências, mas também as dos outros. Se olharmos para alguém e acharmos que aquilo que essa pessoa faz é extraordinário, devemos apontá-lo, refletir sobre isso, e seguir o exemplo. 2 – FAZER O IMPOSSÍVEL O escritor identifica dois tipos de pessoas: as...

Read More
4 áreas que prometem emprego garantido
Mai16

4 áreas que prometem emprego garantido

Escolher uma carreira nunca é fácil. Por isso, é importante pensar bem na sua escolha. Entre os fatores que deverá ter em consideração, os seus interesses, competências e habilidades sempre devem ser prioridade, mas também deverá levar em consideração a situação atual de emprego na área. Mesmo com o mercado de trabalho em contração devido à crise, algumas profissões prometem destacar-se nos próximos anos.   A seguir, conheça 4 áreas que prometem ser interessantes para os novos profissionais:   ENERGIA Para crescer, qualquer país precisa de energia. As duas principais fontes de energia são atualmente o petróleo e as fontes de energia renováveis. Portugal tem-se destacado cada vez mais no recurso e na inovação na área das energias renováveis e pouco poluentes. A busca por novas fontes de energia limpa, mais rentáveis, também promete aquecer o setor, visto que todos os países procuram cada vez mais limitar a sua dependência do petróleo, fonte de energia que liberta demasiados gases poluentes. NEGÓCIOS Os estudantes dos cursos de Administração, Ciências Económicas, Comércio Exterior, Relações Internacionais, Gestão de Recursos Humanos e Marketing têm sempre muitas vagas de estágio para escolher. O motivo de todas as empresas procurarem estudantes ou licenciados nestes cursos é decorrente da globalização, que fez com que todas as empresas necessitassem de pessoas capazes de cuidar dos negócios e de comunicar com o mundo inteiro. TECNOLOGIA A inovação e a competitividade entre as empresas fazem com que a demanda por profissionais que lidem com tecnologia e informática aumente cada vez mais. O ritmo com que as novas ferramentas e necessidades surgem não é tão rápido como o de profissionais que se formam no mercado. Portanto, os estudantes licenciados em cursos como Sistemas de Informação, Gestão de Tecnologia da Informação, Engenharia de Telecomunicações, Rede de Computadores, Ciência da Computação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Engenharia da Computação têm oportunidades garantidas. SAÚDE A preocupação com a qualidade de vida aumenta cada vez mais. Assim, como a esperança média de vida no país. A procura por profissionais especializados em cuidado com os idosos tende a aumentar bem como novos produtos e serviços para a população preocupada em envelhecer com qualidade. No futuro continuará a haver oportunidades para licenciados em Medicina, Gerontologia, Educação Física, Desporto e Lazer, Fisioterapia, Nutrição, Fonoaudiologia, Musicoterapia, Naturologia, Enfermagem e...

Read More
Fnac lança portal de emprego e tem 30 vagas para Portugal
Abr27

Fnac lança portal de emprego e tem 30 vagas para Portugal

A Fnac lançou um novo portal de emprego, passando a estar integrada na rede internacional Trabalhando, presente em 11 países ibero-americanos e que oferece cerca de 200 mil oportunidades de emprego. Em Portugal, a cadeia de retalho tem 30 vagas disponíveis no site. O maior número de vagas é para vendedores e operadores de serviço, mas também há vagas para supervisores, web designers, técnico de controlo de gestão, analista comercial web. O maior número de vagas é para Vila Real e Loulé, mas há igualmente ofertas para Lisboa. No site é possível obter mais informação sobre o perfil exigido, sendo ainda possível fazer a candidatura online. O site permite ainda fazer candidaturas espontâneas. Veja as ofertas disponíveis AQUI A cadeia ligou-se ainda à rede internacional Trabalhando, composta por uma série de site associados, entre os quais universidades, câmaras de comércio, associações empresariais, entre outros. Por mês esta rede recebe 195 mil oportunidades de emprego, 4,1 milhões de candidaturas, mais de 18 milhões de currículos e com 600 mil empresas a utilizar este serviço, informa a Fnac em nota de...

Read More
Entrevista de trabalho: 5 perguntas difíceis – e como responder
Mar07

Entrevista de trabalho: 5 perguntas difíceis – e como responder

As entrevistas de emprego são sempre momentos de stress. Preparar-se adequadamente para o que o espera pode fazer a diferença entre conseguir o emprego ou saltar de escritório em escritório. Não importa a quantas entrevistas de trabalho já tenha ido, a coisa nunca fica mais fácil. E todos os conselhos do mundo são parca ajuda para os nervos, mas apesar do stress, uma boa preparação pode ser muito relevante. Os sites de emprego e Recursos Humanos estão repletos de conselhos sobre como comportar-se numa entrevista de trabalho. Aqui ficam os cinco mais comummente focados em perguntas típicas a que nem sempre conseguimos responder da melhor maneira. 1. Fale-me sobre si. Considerando que uma entrevista razoável não excederá os 30 minutos, é importante focar-se na informação mais relevante sobre as suas capacidades. Três ou quatro pontos explicados com objetividade – recorrendo a exemplos curtos, casos concretos em que essas características fizeram a diferença – é tudo quanto o seu entrevistador quer ouvir. Estou disposto a aprender ou trabalho bem em equipa são alguns dos exemplos recomendados. Mas acima de tudo, seja verdadeiro – mais cedo (ao pedir referências sobre si) ou mais tarde (no dia a dia, caso seja contratado), a verdade virá ao de cima. 2. Quais são os seus pontos fortes?… É mais uma em que pode jogar com a antecipação. Prepare uma lista das qualidades profissionais que reconhece em si e teste esses aspetos junto de quem já trabalhou consigo – colegas, chefes e empregados. Pedir referências na página de LinkedIn, por exemplo, pode também ajudá-lo com algumas pistas sobre capacidades que não vê tão claramente ou que simplesmente não imaginava terem grande importância mas contam para os outros. Talvez seja excelente a motivar equipas e nunca se tenha apercebido de quão longe essa qualidade o pode levar. 3. … E os seus pontos fracos? Tem o hábito de procrastinar? Só trabalha realmente bem quando os prazos apertam? Não consegue cumprir um horário? Evite apresentar uma lista de defeitos. A melhor forma de responder a este tipo de pergunta é focar-se na forma como está a trabalhar para corrigir as suas falhas – e mostrar vontade de cumprir esse desafio. Assim, se por exemplo é demasiado picuinhas com detalhes que nem sempre importam, diga que dá demasiada atenção aos pormenores mas está a esforçar-se por olhar cada vez mais para a realidade mais abrangente. Ou foque o seu discurso nas vantagens que decorrem das suas fraquezas: trabalhar bem sob pressão é uma mais-valia que nem todos têm e pode realmente fazer a diferença – conte um episódio em que isso tenha valido um sucesso profissional e comprometa-se...

Read More
Lidl tem 70 vagas de emprego de norte a sul do país
Jan26

Lidl tem 70 vagas de emprego de norte a sul do país

A cadeia de supermercados alemã está a reforçar as suas equipas a nível nacional. Há quase 70 vagas de emprego, de norte a sul do país. A maior parte das oportunidades são para o cargo de vendedores em part-time. “No âmbito do nosso crescimento procuramos reforçar as nossas equipas na nossa Sede e Direções Regionais”, explica a empresa na página de recrutamento. A maior parte das vagas são destinadas a vendedores em part-time mas há também oportunidades na área administrativa. Setúbal e Porto são as cidades com mais vagas disponíveis. A cadeia de supermercados promete “um trabalho entusiasmante e diversificado, formação teórica e prática, um pacote salarial atrativo e oportunidade de desenvolvimento e crescimento dentro da empresa”. A Lidl, empresa da área da distribuição alimentar, está presente em mais de 25 países onde já conta com mais de 10.000 lojas. Consulte aqui todas as...

Read More
As 10 profissões mais promissoras para o futuro
Dez26

As 10 profissões mais promissoras para o futuro

Estudo norte-americano divulga quais são as profissões mais promissoras para o futuro… A consultora organizacional norte-americana Sparks and Honey lançou um estudo no qual foram apontadas as 20 carreiras mais promissoras para o futuro. Apesar de algumas delas ainda não estarem consolidadas no mercado, para todas as profissões citadas existe uma coisa em comum: fogem do modelo antigo de carreira, em que as pessoas se formavam numa determinada área e seguiam esse caminho o resto da sua vida profissional. A tendência é que as profissões sejam cada vez mais transversais e fragmentadas, ou seja, que abranjam diversas áreas. Além disso, haverá a necessidade de profissionais cada vez mais especializados. A seguir, conheça a lista com as 10 carreiras mais promissoras para o futuro, segundo Sparks and Honey, e veja se alguma combina consigo: 1. Consultores de produtividade Especialistas em tecnologias e soluções capazes de melhorar o desempenho das empresas e dos seus colaboradores. 2. Curadores digitais Fazem uma seleção de conteúdos e ferramentas digitais, escolhidos de acordo com a carreira ou a personalidade do cliente. 3. Gestores de morte digital Cuidam do conteúdo online de utilizadores falecidos. 4. Disruptores corporativos São responsáveis por estimular as empresas a abandonarem as suas hierarquias engessadas e passarem a atuar num ambiente mais flexível, como o de novas empresas e startups. 5. Tutores de curiosidade É uma espécie de coach da criatividade, que é contratado para levar ao seu cliente conteúdos que estimulem a sua curiosidade. 6. Alternative Currency Speculators Especialista em investimentos e moedas digitais, como a bitcoin. 7. Especialista em Crowdfunding Trabalha com a plataforma online Crowdfunding, utilizada para captar e oferecer investimentos a projetos de empreendedorismo, causas sociais e outras iniciativas. 8. Operadores de drones Será contratado para pilotar as pequenas naves, principalmente em áreas urbanas. 9. Consultores de privacidade Profissional capaz de avaliar riscos online ou físicos e orientar o seu cliente com base nessas análises. 10. Coaches de Skype Espécie de coach pessoal contratado para preparar o cliente para entrevistas ou reuniões através da plataforma Skype, indicando a melhor forma de se portar em frente às câmaras durante a conferência. Fonte:...

Read More
4 formas de conseguir um novo emprego
Nov08

4 formas de conseguir um novo emprego

A busca por um novo emprego pode ser stressante de deixar os profissionais desmotivados durante o período em não encontram boas oportunidades. No entanto, há algumas ações que podem facilitar essa procura, potenciando as oportunidades da pessoa encontrar o emprego dos seus sonhos. Saiba quais são elas: 1 – Pesquise mais sobre as vagas a que se vai candidatar Antes de participar de qualquer fase do processo seletivo, tenha certeza de que tem conhecimentos sobre a empresa. Saiba quais os principais produtos ou serviços oferecidos, qual o público etc. Assim, terá logo à partida uma boa vantagem em relação aos outros candidatos. 2 – Tenha um bom networking Quando precisa de se recolocar no Mercado, ter um bom networking pode ser um grande facilitador. Comente com os seus amigos do mesmo ramo sobre o seu interesse numa vaga e é possível que algum deles o indique ou que lhe mostre uma oportunidade disponível. 3 – Tome cuidado com as suas redes sociais É normal que os recrutadores analisem as redes sociais dos profissionais que estão a candidatar-se às vagas de emprego. Por isso, é importante que mantenha uma boa imagem nas redes, evitando qualquer tipo de conteúdo que possa prejudicá-lo profissionalmente. 4 – Crie um bom currículo Este documento definirá as quais oportunidades para as quais poderá vir a ser selecionado para entrevistas de emprego. Por isso, preocupe-se em montar um currículo claro e que apresente todos os pontos principais da sua carreira. Escreva o essencial para evitar que o recrutador perca o interesse devido tamanho do documento. Fonte:...

Read More
4 formas de ajudar o seu amigo a encontrar um emprego
Out17

4 formas de ajudar o seu amigo a encontrar um emprego

Tem um amigo com dificuldades em encontrar emprego? Veja como o pode ajudar a conseguir um… Esta cansado de ver o seu amigo a mandar currículos para vários lugares sem sequer ser chamado para uma entrevista? Esta é uma situação bastante desagradável, mas você pode fazer muito mais do que consolá-lo apenas. Descubra 4 formas de ajudar o seu amigo a encontrar um emprego: 1 – Dê opiniões sinceras Diga ao seu amigo o que considera que poderá estar a atrapalhá-lo num processo seletivo. A postura dele é má? O currículo não está suficientemente bem estruturado? Ele comunica mal? Seja sincero e dê-lhe esse feedback. Acredite: é melhor ser você a dizer-lhe estas coisas do que o técnico de recrutamento. 2 – Ajude-o a encontrar a área ideal Pode acontecer que o seu amigo esteja tão perdido profissionalmente que nem ele saiba em que área devia trabalhar. Neste caso, ajude-o a listar as suas competências e pontos fortes, e assim juntos encontrarão a vaga mais adequada ao perfil dele. 3 – Não se stresse Caso o seu amigo esteja à procura uma vaga há bastante tempo, é bem provável que ele já esteja bastante estressado com a situação. A próxima dica é que não se deixe stressar também. Se ele disser alguma coisa que o ofenda, reconheça que muito provavelmente não o faria se estivesse mais tranquilo, esqueça. Tenha paciência e saiba respeitar o momento difícil da vida do seu colega. 4 – Use os seus contactos Se conhecer alguém que trabalhe na mesma área na qual o seu amigo deseja conseguir uma vaga, converse com essa pessoa e indique o seu amigo. FONTE:...

Read More
Porto oferece 1.500 empregos a Engenheiros
Out11

Porto oferece 1.500 empregos a Engenheiros

Da gigante Rolls-Royce à start-up Feedzai, meia centena de empresas vão estar a recrutar durante três dias na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Cerca de 1.500 ofertas de emprego vão estar disponíveis na FEUP Career Fair de 11 a 13 de Outubro, para os estudantes e os antigos alunos da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Estas vagas na área da Engenharia vão ser apresentadas por 50 empresas interessadas em recrutar novos talentos durante os três dias da feira de emprego. Quase um terço vai tentar contratar graduados já com doutoramento, “o que evidencia a aposta num segmento especializado e altamente qualificado”. A lista das empresas com ofertas a preencher inclui desde grandes firmas nacionais e internacionais, como a Continental, a Rolls-Royce, a Sonae ou a indústria vimaranense Amtrol-Alfa, até jovens empresas de sucesso como a Farfetch ou a Feedzai, de Coimbra, que detecta fraudes nos pagamentos no comércio electrónico e na banca. Segundo a informação disponibilizada ao Negócios pela FEUP, a designada “Career Fair” é também “uma oportunidade para os estudantes adquirirem competências e aprenderem mais sobre entrevistas e processos de recrutamento nas empresas, e ao mesmo tempo receber ‘inputs’ sobre a melhor maneira de se prepararem para o mercado de trabalho”. A Michael Page, especializada no recrutamento de quadros médios e superiores, vai estar na FEUP Career Fair 2016 para dar dois “workshops”. Um sobre como tornar o currículo “atractivo e diferenciador”, incluindo aspectos como a carta de apresentação, estrutura e dimensão, transparência e revisão; outro sobre como gerir a procura de emprego, envolvendo a actualização dos perfis nas redes sociais ou a expansão de competências. No programa da edição de 2016 destaca-se a estreia de uma actividade de “networking” ao final do dia, em que 33 companhias inscritas vão interagir com os candidatos num ambiente mais informal. Para ver o programa completo e saber mais informações visite a página do evento em >>> https://paginas.fe.up.pt/~careerf16/programa/ FONTE: Jornal de...

Read More
10 competências necessárias para garantir emprego
Jul19

10 competências necessárias para garantir emprego

A Ransdtad divulgou o relatório Flexibility@Work 2016 que clarifica os desafios que enfrentam os profissionais na era digital, identificando as competências-chave para o futuro. O estudo confirma o que os empregadores há muito denunciam: estamos a formar profissionais com as competências erradas. As competências necessárias aos profissionais e empregadores estão em mutação constante e o sistema de ensino não está a conseguir acompanhar a velocidade de um contexto empresarial global, onde as competências técnicas e os graus académicos já não são o único requisito que se exige a um bom profissional. Por cada emprego altamente qualificado que é criado, surgem 2,5 a 4,4 empregos adicionais. As contas são claras no relatório Flexibility@Work 2016 – O Futuro do Trabalho na Era Digital, elaborado pela Randstad em conjunto com a Universidade de Utrecht e a Universidade de Leuven, tendo como base de análise os países da OCDE. O estudo denuncia uma rápida desindustrialização e polarização do emprego nestes países, potenciada pela transformação digital da economia. “Aumenta o número de trabalhos com salários muito altos e baixos, em detrimento do salário médio que está a diminuir”, releva José Miguel Leonardo justificando a tendência com “o efeito da automatização, da robotização e do outsourcing de muitos empregos”. Por outras palavras, à medida que forem criados mais empregos altamente qualificados para suportar os produtos digitais e a tecnologia, teremos um aumento proporcional de emprego com baixas qualificações. Um cenário que a crescente necessidade de perfis STEM (Science, Technology, Engineering and Maths) ajudará a acentuar. Entre ambos os pólos, um problema comum: a ausência de competências hoje consideradas essenciais pelos empregadores. “Os empregadores dizem que não podem preencher vagas porque até mesmo os candidatos altamente qualificados têm as competências erradas”, explica José Miguel Leonardo. Para o líder da Randstad, os sistemas de ensino estão a “educar os profissionais de amanhã com as competências necessárias para a indústria de ontem” e falham o leque de skills hoje consideradas vitais pelo empregadores (ver caixa). Muitos empregadores estão, segundo o estudo, “preocupados com o facto de os candidatos não terem as soft skills necessárias como a comunicação interpessoal e habilidades analíticas de resolução de problemas”. Para José Miguel Leonardo, “o futuro do trabalho exige uma mudança sistémica na educação e na formação, uma vez que as necessidades do negócio são redesenhadas continuamente pela tecnologia, criando lacunas de competências que as pessoas terão de enfrentar”. O CEO da Randstad acrescenta que é obrigatoriedade das empresas de Recursos Humanos “acompanhar este processo de transformação para garantir o re-equilíbrio do mundo do trabalho nesta revolução digital”. Emprego de alta-tecnologia Segundo o relatório, “os empregos tradicionalmente associados ao salário médio (trabalhadores da...

Read More
Conheça os empregos com maior procura em 2025
Jun21

Conheça os empregos com maior procura em 2025

Fórum Económico Mundial estima que cinco milhões de empregos serão erradicados até 2020 e lista as profissões que terão maior procura em 2025. A próxima década trará mudanças globais que vão alterar a própria natureza do trabalho, exigindo aos trabalhadores novas capacidades e estratégias para serem bem-sucedidos em novos locais de trabalho mais globais, internacionais, multifacetados e sempre ligados. Alguns dos empregos mais afetados pela quarta revolução foram, até há pouco tempo, consideradas “apostas seguras”, como trabalhadores administrativos, de produção e até de Direito – e serão os mais afetados, aponta o relatório. Sabe se tem o que é preciso para continuar no mercado de trabalho em 2025? Aqui ficam seis áreas de conhecimento que os especialistas do Fórum Económico Mundial recomendam que tenha, bem como algumas categorias de trabalho mais procuradas segundo o Bureau of Labor Statistics (BLS) dos EUA. 1) Tecnologia e Pensamento Computacional Não será novidade a procura por profissionais capazes de lidar com tecnologia, no entanto alguns dos mais importantes serão os que dominam o “pensamento computacional“, ou seja, capazes de lidar com quantidades impressionantes de informação que processamos individualmente todos os dias, detetar padrões e obter algum sentido de tudo isso. Os empregos relacionados com desenvolvimento de software vão aumentar 18,8% até 2024 e os analistas de sistemas informáticos vão subir 20,9% no mesmo período. Entretanto, os especialistas em pesquisa de mercado e em marketing, que requerem caraterísticas idênticas às mencionadas, vão também ter mais 18,6% de procura. 2) Cuidados a terceiros À medida que a população envelhece, praticamente todos os setores ligados à saúde vão ver crescer o emprego. Simultaneamente, a telemedicina, o equipamento cirúrgico robótico e outras formas de automação vão mudar a forma como os cuidados de saúde são administrados, mantendo a necessidade de cuidadores. Empregos como técnicos médicos, terapeutas físicos e especialistas em ergonomia do trabalho, bem como veterinários, secretárias clínicas e assistentes médicos estão entre os que mais vão crescer até 2025. A procura vai subir 38,1% para os cuidadores de saúde particulares ao domicílio. 3) Inteligência social e literacia dos novos media Os robots ainda vão demorar um bom bocado a dominar “soft skills”como a inteligência social e emocional ou a competência intercultural que será altamente valorizada à medida que os locais de trabalho se tornam mais internacionais do que nunca. Também a capacidade de entender as diversas plataformas de media e perceber qual a melhor maneira de comunicar efetivamente em cada uma delas são capacidades valorizadas e que os robots não vão conseguir alcançar num futuro próximo. Por isso, os empregos em vendas, seja no retalho, seja noutras plataformas, os especialistas em marketing e o apoio ao...

Read More