Licenciados ganham três vezes mais do que quem tem o 1.º ciclo

Um trabalhador que não foi além do 1.º ciclo do ensino básico (escola primária) ganha em média três vezes menos do que um licenciado e corre mais riscos de ficar sem emprego. Este diagnóstico, somado ao desinvestimento na qualificação para adultos ao longo dos últimos anos, são os pontos de partida do Qualifica, o novo programa de formação que pretende apostar mais na aprendizagem ao longo da vida e reforçar da rede dos centros de formação e as equipas de formadores e professores.

Os secretários de Estado da Educação e do Emprego revelaram que os objetivos deste novo programa passam por reforçar os níveis de qualificação da população ativa e a sua empregabilidade, através da promoção da formação ao longo da vida e da criação de competências mais ajustadas ao mercado de trabalho.

Menos ensino mais desemprego

Os dados mostram que, além da discrepância salarial, quem tem menos qualificações é mais afetado pelo desemprego. Em média, as pessoas com os 1.º e 2.º ciclos do ensino básico têm uma taxa de desemprego que supera a taxa global (de 10,8%). Já entre os que têm o ensino superior, esta taxa ronda os 7%. E, traduzindo o ganho médio mensal em euros, conclui-se que, enquanto um doutorado ganha em média 2500 euros por mês e um licenciado ou mestre perto de 1800, os menos qualificados não descolam da fasquia do salário mínimo.

Criado na senda do Novas Oportunidades (lançado em 2005 e substituído pelo anterior governo, que criou os Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional), o Qualifica e os respetivos centros continuarão a promover os processos de reconhecimento, validação e certificação de competências, mas pretendem também dar um maior enfoque à qualificação. De que forma? Complementando a validação de competências (RVCC) com a obrigatoriedade de encaminhamento para a formação certificada ajustada às necessidades de cada formando.

Com o Qualifica, o governo quer garantir que 50% da população ativa conclui o ensino secundário (atualmente apenas 26,1% estão nesta situação) e que a taxa de aprendizagem ao longo da vida possa chegar aos 25% (contra os 9% atuais). Um dos instrumentos para chegar a estas metas será o reforço da rede de centros Qualifica. Em 2010 chegaram a existir cerca de 450 centros Novas Oportunidades, que foram substituídos pelos CQEP e reduzidos para 238. O objetivo é agora chegar aos 300 centros, estando prevista a abertura de novos 30 em 2016 e de mais 32 no próximo ano.

licenciados ganham mais

Concursos para novos centros

Para tal vai ser aberto um concurso ao qual poderão concorrer escolas, agrupamentos de escolas, autarquias ou empresas. Os atuais CQEP também poderão reconverter-se em centros Qualifica, dispondo de 60 dias após a publicação da portaria para ajustar o seu plano de intervenção.

Os novos centros irão surgir em zonas onde a oferta é mais escassa. E, apesar de estar ainda a ser ultimado o levantamento de necessidades, o Interior Norte e Centro serão das regiões onde se sabe já que há maior escassez de oferta e que, por isso, deverão beneficiar do alargamento da rede.

Os secretários de Estado Miguel Cabrita (Emprego) e João Costa (Educação) sublinharam ainda mudanças ao nível das equipas de formadores, apostando no seu reforço e na estabilidade. Por este motivo, pretende-se que os formadores dediquem pelo menos 80% do seu tempo profissional aos centros Qualifica – atualmente não existe nenhum patamar mínimo. Os professores sem horário atribuído ou com poucas horas letivas poderão, assim, ser chamados a dedicar mais tempo a esta vertente da formação para adultos.

O governo vai ainda reforçar as verbas para o novo programa, que deverão mais do que duplicar em relação aos 15 milhões dos atuais CQEP. O Qualifica destina-se essencialmente a adultos, mas poderá também abranger os jovens que não estudam, trabalham ou não estão em formação (os chamados NEET).

“Portugal tem uma das populações ativas com menos qualificações”, sublinhou o secretário de Estado da Educação, João Costa.

FONTE: DN

Quer receber as nossas ofertas de FORMAÇÃO e EMPREGO directamente no seu email? Então subscreva inserindo o seu endereço de email abaixo:

NOTA: Para poder receber as nossas actualizações deve clicar no link de confirmação que irá receber no seu email.

Author: Formação & Emprego

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *