Recrutadores portugueses dizem o que mais importa no currículo

Um estudo feito a candidatos e recrutadores portugueses apurou aquilo que realmente importa numa candidatura.

No seu mais recente estudo, a empresa de recrutamento Michael Page entrevistou 564 candidatos e 25 consultores de recursos humanos em Portugal para desvendar aquilo que procuram os recrutadores nos currículos de quem se candidata a uma entrevista de emprego.

Na sequência dos resultados, que poderá consultar na galeria acima, estão também dicas para saber aperfeiçoar a formatação, estrutura e conteúdo do currículo.

Entre as diferentes opiniões sobre o tema, há apenas um fator que reúne consenso: Os erros gramaticais podem ser um autêntico ‘tiro no pé’.

fatores que mais importam no curriculo

O que mais importa no currículo

1. Novas tecnologias e criatividade

Na era das tecnologias, 84% dos consultores considera que fortalece o currículo incluir o contacto de skype, opinião partilhada por mais de metade (51,2%) dos candidatos entrevistados. Por outro lado, incluir um endereço de email não é valorizado por nenhuma das partes. Outra das conclusões mostra que 45,7% dos candidatos acredita que incluir os links dos perfis das redes sociais fortalece o CV e 68% dos consultores partilha a mesma opinião. A grande maioria (76,8%) dos inquiridos diz ainda que incluir uma fotografia própria no CV é outra maneira de fortalecer o documento.

2. Informação extra e tom de escrita

Na altura de criar ou recriar o CV, diz o estudo da Michael Page, “é importante descrever com palavras-chave o trabalho e funções das experiências profissionais”, sendo este fator importante para 91,8% dos candidatos e para todos (100%) os consultores, que analisam, em média, 100 currículos por dia. O tom de escrita casual não é aconselhado, sendo que a maioria dos candidatos (49,1%) e a maioria dos consultores (56%) consideram que enfraquece o texto. Deste modo, 89,9% dos candidatos considera importante adotar um tom profissional, opinião também partilhada por 96% dos consultores. Escrever o CV na primeira pessoa? As opiniões dividem-se: A maioria dos candidatos (46,6%) considera que isso fortalece o currículo, em oposição à maioria dos consultores (44%), que acredita que um CV escrito na primeira pessoa é um currículo mais fraco.

3. Longevidade na empresa

Relativamente à experiência de trabalho, 78,5% dos 564 candidatos entrevistados afirma que fortalece o currículo permanecer na empresa mais do que dois anos, e 92% dos consultores também pensa da mesma maneira.

4. Características Pessoais

“Todos achamos que somos super dinâmicos e superativos. Aquelas frases que antes se usava como “Aposte em Mim” ou “sou uma mais-valia para a sua empresa” e aqueles textos muito elaborados já não se usam. Hoje em dia há uma coisa que se utiliza muito que é um pequeno parágrafo no topo do CV com uma breve descrição daquilo que são as nossas melhores características e isso pode ser uma boa abordagem. Ainda assim, acho que qualquer que seja a característica boa ou menos boa deverá transparecer na entrevista e não estarmos nós a evidenciar que a temos”, explica Ana Castro Dias, Consultora Sénior da Michael Page.

FONTE: Dinheiro Vivo

Quer receber as nossas ofertas de FORMAÇÃO e EMPREGO directamente no seu email? Então subscreva inserindo o seu endereço de email abaixo:

NOTA: Para poder receber as nossas actualizações deve clicar no link de confirmação que irá receber no seu email.

Author: Formação & Emprego

Share This Post On

1 Comment

  1. Estou numa situação de desemprego, sempre fui administrativo mas ou nessa área ou armazém geral do ramo da construção civil agradecia ofertas de emprego. obrigada

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *